• Diamante FM

Mudança de horário na Caixa pega desavisados de surpresa


Clientes desavisados foram pegos de surpresa na manhã desta terça-feira (23) com a mudança nos horários da Caixa Econômica Federal, que voltou com o atendimento das 11h às 16h. Durante a pandemia da covid 19, as agências funcionaram a partir de 8h, em especial para atender demandas relativas ao pagamento de benefícios como o auxílio emergencial.


Acreditando que a agência ia abrir às 8h, o pintor de parede Jair Cortez Duarte, 36 anos, chegou às 6h na Caixa da Rua Barão do Rio Branco, em Campo Grande, para aguardar atendimento. Desempregado há dois anos, Jair contou que havia arrumado bico fora da cidade numa fazenda e, como ficou sem acesso a banco, tinha 3 parcelas do auxílio emergencial para receber na boca do caixa.


Ele disse que saiu do Bairro Estrela do Sul e não tinha como voltar para a casa. “Já consultei pelo aplicativo e o valor está disponível. Não tenho dinheiro para a passagem. Vou ter que aguardar aqui a abertura do banco. Se algo der errado, vou ter que voltar a pé para  casa”, disse. Em frente a agência não tinha fila e as pessoas que chegavam cedo eram avisadas do novo horário por um funcionário.


No banco da Rua 13 de Maio, quem foi cedo e ficou sabendo da mudança não gostou. Cliente há 20 anos da Caixa, a cuidadora Ana Clara Marques, 38 anos, reclamou da situação. Ela havia pedido para chegar mais tarde no serviço porque tinha que buscar o novo cartão.


Mudaram a minha conta de poupança para corrente a avisaram que o cartão já está disponível na agência. Perdi a viagem, vou ter que voltar outro dia”, contou. Ana Clara acredita que a Caixa deveria ter usado as ferramentas disponíveis,  como por exemplo o aplicativo, para avisar sobre a mudança. Na porta da agência havia um cartaz informando o novo horário.


Ansiosa para sacar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) do último trabalho, Iraci Nogueira, 45 anos, saiu cedo do Bairro Aero Rancho, mas deu com a cara na porta. “Vou desistir, não vou ficar aqui até as 11h”, disse. Indagada se não consegue fazer a transação por outros meios, ela disse que tem dificuldade de mexer com as novas tecnologias. “Eu prefiro atendimento presencial, porque a gente aproveita e tira outras dúvidas também”, destacou.


Os horários regulares de abertura e fechamento das unidades variam de acordo com as especificidades e fusos de cada região.

3 visualizações0 comentário