• Diamante FM

Governo de MS explica situação diante do vírus Chapare na Bolívia


Diante das suspeitas de caso do vírus Chapare na Bolívia, muitos moradores questionaram se o Governo do Estado fecharia a fronteira para evitar qualquer eventual chances do vírus atravessar para o lado brasileiro. No entanto, a SES (Secretaria Estadual de Saúde) esclareceu que, como não há casos confirmados


neste ano no país vizinho, não existe a possibilidade de fechamento da fronteira até então.


A SES esclarece que não há casos registrados em 2020 na Bolívia, portanto não há riscos de transmissão nos municípios que fazem fronteira com o país vizinho”, disse em nota. Não há casos registrados da doença recentemente e o Brasil nunca registrou nenhum caso do vírus.


Valem lembrar que um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) impede a entrada de estrangeiros no Brasil. Segundo a portaria assinada pelos ministros Braga Netto (Casa Civil), André Mendonça (Justiça e Segurança Pública), Tarcísio Freitas (Infraestrutura) e Eduardo Pazuello (Saúde), fica proibida a entrada de estrangeiro ao Brasil, de qualquer nacionalidade, por rodovias ou outros meios terrestres e transportes aquaviários. O decreto já foi prorrogado duas vezes.


Na segunda-feira (16), a PRF (Polícia Rodoviária Federal) interceptou seis ônibus de bolivianos na BR-262. O grupo foi encaminhado à sede da Polícia Federal do Aeroporto Internacional de Campo Grande.


Cientistas do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), haviam descoberto evidencias recentes de que o vírus, transmitido pelo rato, poderia ser transmitido de humano para humano. No entanto, ainda não havia nenhuma confirmação.


A Saúde de Mato Grosso do Sul chegou a receber um alerta do Ministério da Saúde sobre as suspeitas descobertas pelo CDC, porém, segundo a SES, o procedimento de aviso é padrão. “O comunicado é procedimento padrão dentro dos protocolos do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). O CIEVS encaminhou esse comunicado para a Vigilância do município de Corumbá para que a Rede de Saúde se atente para possíveis casos suspeitos que atendam à definição, assim como já existe uma lista de doenças sendo monitoradas”, explicou a secretaria através de nota.


De acordo com explicação da SES, o vírus é transmitido por alimentos e água contaminados pela saliva, urina e fezes de ratos infectados. Também pode ocorrer a transmissão de humano para humano, conforme observado pelo estudo de cientistas do CDC-EUA.


Os infectados com o vírus Chapare apresentaram sintomas como febre, dor de cabeça, dor no corpo, náusea e sangramento gengival, segundo a virologista do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos Maria Morales-Betoulle. Ela afirmou que na América do Sul em geral, quando as pessoas veem casos com esses sintomas, elas imediatamente pensam em dengue e não necessariamente pensam em um vírus raro como o Chapare.


A SES informou que tem um centro onde é feito o monitoramento, em caso de manifestação da doença. O centro informou a cidade de Corumbá para ficar atenta a possíveis casos suspeitos. A secretaria ressalta que não foram registrados casos da doença neste ano, por isso não há riscos de transmissão nos municípios que fazem fronteira com o país vizinho.

6 visualizações
© 2020 Desenvolvido por Indoor Brasil
Logo Branca.png

Rua José Vieira Flores QD 18 L 9. Recanto Dos Pintados - Corguinho MS