• Diamante FM

Gasolina terá novo reajuste a partir desta quinta, avisa Sinpetro


Andar de carro ou moto está se tornando cada dia mais caro, com preços dos combustíveis sofrendo aumentos constantes, mas os mais ‘prejudicados’ são os moradores do interior de Mato Grosso do Sul. Em um posto de combustíveis localizado em Dois Irmão do Buriti, o valor chega a R$ 5,69 e assusta. Diretor do


Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS), Edson Lazarotto, explica que com o novo reajuste anunciado nesta quinta-feira (18), o novo valor poderá ser sentido já no bolso do consumidor na próxima semana.


Em Chapadão do Sul, o Auto Posto Itambé, localizado na Avenida Dois, os valores cobrados são R$ 5,50 no litro da gasolina comum e R$ 3,69 no litro do etanol. Há algumas quadras de distância, no Posto Chapadão, o valor da gasolina é de R$ 5,45 e do etanol R$ 3,59.


Em Paranaíba, o Auto Posto Daniel cobra R$ 5,59 no litro da gasolina comum e R$ 3,79 no etanol, valor não muito distinto do cobrado no Posto Tradicional, onde o litro da gasolina custa os mesmos R$ 5,59 e do etanol custa R$ 3,89.


Se comparados com Campo Grande, os valores podem ser considerados alto, já que os consumidores da capital conseguem encontrar a gasolina sendo vendida por R$ 5,12 e R$ 4,85.


Lazarotto explica que os preços no interior são mais altos por conta dos fretes. “É cobrado mais caro porque o posto mais caro, nas cidades do interior o preço do frete é maior e as companhias cobram mais, então isso é repassado para o consumidor”. “Por esse motivo temos um combustível mais caro no interior do que na capital, mas é normal, o valor cobrado não está errado ou ilegal”, comenta Edson afirmando que um novo aumento foi aprovado pela Petrobras.


Um novo aumento foi aprovado hoje (quinta) e vai começar a valer amanhã (sexta)”, disse. O valor comentado se trata de um aumento aprovado pela Petrobras de R$ 0,23 a mais na gasolina e R$ 0,34 no diesel. Edson explica que é preciso esperar, pois esse aumento só deve ser sentido na bomba na próxima semana, mas sem um valor preciso.


O consumidor deve sentir esse aumento na próxima semana, mas não dá para saber o quanto, pois isso vai de cada posto, a quantia que o empresário decidir repassar para o consumidor”, disse.


Edson conta que o Sinpetro/MS espera por um decreto federal que deve diminuir ou afetar de alguma forma o PIS/COFINS e isso deve anular o aumento da Petrobras. “Então se esse decreto sair entre hoje e amanhã, o aumento acaba sendo anulado e o preço não muda”.

3 visualizações0 comentário