• Diamante FM

Eduardo Riedel deve ser o candidato de Jair Bolsonaro em Mato Grosso do Sul


Para garantir uma eleição tranquila para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (PP), ao Senado, o presidente Jair Bolsonaro (PL) abriu mão de lançar candidatos a governador pelos partidos que deverão compor sua coligação na chapa nacional em Mato Grosso do Sul.


A decisão abre caminho para que o


presidente e seus candidatos em MS consolidem o apoio ao pré-candidato do PSDB ao governo do Estado, Eduardo Riedel (PSDB).


Ontem aconteceu o último compromisso público de Tereza Cristina como ministra da Agricultura, em Mato Grosso do Sul, e provavelmente um dos últimos eventos públicos de Eduardo Riedel como secretário de Infraestrutura. Ambos estavam no palanque com Jair Bolsonaro. No caso do tucano, com muita tranquilidade no evento.


Oficialmente, o PSDB de Mato Grosso do Sul não deverá manifestar-se sobre a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência, até porque o partido deve ter candidato ao posto: João Doria, que deve renunciar ao governo de São Paulo, ou Eduardo Leite, que já renunciou ao governo do Rio Grande do Sul e, mesmo após ter sido derrotado nas prévias, não desistiu de seu projeto.


Ao lado de Tereza Cristina, de Jair Bolsonaro e do ministro das Comunicações, Fábio Faria, Eduardo Riedel fez o mesmo que eles na ocasião: entregou lotes de propriedade das terras aos agricultores do Assentamento Itamarati, em Ponta Porã.


No evento, o pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul Eduardo Riedel e o secretário de Meio Ambiente, Produção, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, eram os únicos políticos alinhados mais ao Centro que estavam presentes.


A base bolsonarista em Mato Grosso do Sul estava em peso no local, com o deputado estadual Coronel David (PL), o deputado federal Luiz Ovando (PP) e o deputado federal Loester Trutis (PL).


Sob orientação da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, a tendência é de que todos os integrantes da chapa da Bolsonaro em Mato Grosso do Sul, como os três deputados citados, peçam votos para Eduardo Riedel na disputa pelo governo do Estado em outubro.


Depois de Jair Bolsonaro ter um desconforto no estômago, na noite de anteontem, sua visita a Mato Grosso do Sul chegou a ser ameaçada. Mas a força do compromisso do presidente com a ministra Tereza Cristina o trouxe à fronteira.


A ministra, que está prestes a deixar a pasta da Agricultura para concorrer ao Senado, agradeceu publicamente Jair Bolsonaro.


Me despeço hoje do Ministério da Agricultura aqui, em Mato Grosso do Sul, com vocês. Com o maior prazer, eu digo, do fundo do meu coração, foi muito bom trabalhar com esse homem, que é determinado, corajoso e não tem medo”, afirmou a ministra.


Ao dirigir-se ao prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo (PSDB), em seu discurso, Bolsonaro usou a deixa para elogiar Tereza Cristina.


Assim como o prefeito aqui tem seu secretariado, eu tenho meu ministério em Brasília (DF), e com pessoas fantásticas ao meu lado, como a Tereza Cristina, que me acompanha no dia de hoje, nos ajuda a vencer obstáculos”, disse Jair Bolsonaro.


Milhares de pessoas estiveram presentes no evento, muitas delas reverenciavam Jair Bolsonaro com os tradicionais gritos de “mito”. Bolsonaro, embora atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas pesquisas nacionais, em Mato Grosso do Sul parece jogar em casa e tem boa vantagem sobre o petista.


A confiança de Jair Bolsonaro em Tereza Cristina e a amizade de longa data entre a ministra e Eduardo Riedel devem ser o combustível que o pré-candidato do PSDB precisa para consolidar seu nome na disputa.


Com informações do Correio do Estado

2 visualizações0 comentário