• Diamante FM

Eco Pantanal Extremo começa em 10 de dezembro

Atualizado: 10 de nov. de 2021


Um dos maiores eventos esportivos de aventura do Brasil, o Eco Pantanal Extremo – Jogos de Aventura volta em dezembro, celebrando a natureza exuberante do Pantanal de Corumbá, em tempo de pandemia e crise hídrica.


Adrenalina e emoção em uma competição única na Região Centro-Oeste, que movimenta o turismo e coloca o Estado no calendário dos grandes eventos esportivos.


O ato de competir em harmonia com o Rio Paraguai e com os animais é um privilégio para esses atletas da natureza, em um lugar diferenciado, onde a cultura fronteiriça se mistura e a arquitetura eclética da cidade nos remete aos tempos dos navios a vapor, das grandes expedições e um comércio além-mar.


Se superar, conquistar medalhas e atingir os melhores níveis técnicos são objetivos, porém, o atleta do Pantanal Extremo é, antes de tudo, um desbravador.


Ele desafia a correnteza do Rio Paraguai, corre e pedala por caminhos de obstáculos naturais, enfrentando um calor de 40 graus. O ambiente que o cerca – este é o grande segredo – lhe dá energia para triunfar diante dos desafios das provas, vencendo os paralelepípedos e se sentindo grato por estar ali.


Com todos esses ingredientes, o evento se torna único e coloca Corumbá no calendário de provas nacionais, atraindo cada vez mais atletas de ponta e turistas e consagrando o Pantanal como rota dos esportes radicais.


Ao lado de outros produtos de relevância, como a pesca esportiva, os cruzeiros, as vivências campeiras, os sabores e saberes do seu povo (Carnaval, São João), o destino se potencializa como turismo esportivo, que atrai milhões de adeptos.


Nosso objetivo é o incremento aos grandes eventos esportivos, que têm papel importante de levar entretenimento e qualidade de vida às pessoas e movimentar a cadeia produtiva, principalmente nesse período de pós-crise na saúde e retomada da economia”, afirma Marcelo Miranda, diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de MS (Fundesporte).


O Pantanal Extremo alia esporte e ecoturismo, proporciona uma disputa saudável e divulga o Estado”, pontua.


A competição ecológica iniciou-se em 2013, com 550 atletas de vários estados, trazendo uma novidade: o voo livre.


Apesar de o Pantanal reunir todas as condições ambientais para sediar provas de alto nível, a modalidade foi retirada em razão do alto custo das provas, fator que inviabilizou a corrida orientada, também suprimida.


Nada impossível, contudo, para a volta de ambos. Basta ter ousadia e planejamento estratégico para buscar os grandes patrocinadores.


Promovida pela prefeitura de Corumbá, com apoio do governo do Estado, a sétima edição será realizada de 10 a 12 de dezembro, com seis modalidades: canoagem, corrida de trilha, mountain bike, maratona aquática, stand up paddle (SUP) e tiro prático.

Em razão da pandemia, a organização decidiu limitar o número de inscrições a 1.180 atletas (em 2019, última disputa, foram mais de 1.200).

As inscrições tiveram início em 3 de novembro e seguem até a véspera dos jogos.

A prefeitura e a Fundesporte ainda discutem nova formatação do Pantanal Extremo, com o propósito de trazer atletas de nível olímpico e divulgar nacionalmente a competição.

A canoagem – já é certo – terá prova pela Copa Brasil e a presença confirmada do medalhista nas Paralimpíadas de Tóquio, o cowboy sul-mato-grossense Fernando Rufino.

A prova de tiro prático, com recorde de inscritos (80) em 2019, terá a participação de seis atletas de alto nível: Bruna Mirandola, campeã brasileira Production; Lucimar Domingues, campeão mundial sênior; Akira Yamaguchi, campeão brasileiro Production; Flavio Chain, campeão brasileiro standard; Moacir Azevedo, campeão mundial sênior revolver; e Mário Neto, campeão brasileiro standard.



2 visualizações0 comentário