• Diamante FM

Com economia acima de 53%, Governo de MS garante conectividade para todo o Estado


Com economia de mais de 53% no valor da contraprestação da Parceria Público-Privada (PPP) Infovia Digital, o Governo de Mato Grosso do Sul encerra mais um projeto que visa o desenvolvimento do Estado, trabalhando com o Capital privado. Além de garantir investimentos de R$ 887 milhões, sendo R$ 306 milhões


para a implantação e R$ 581 milhões para manutenção e operação, por 30 anos. O Consórcio Sonda Infovia Digital, uma multinacional chilena que também atua nos Estados Unidos e em países sul-americanos, venceu, nesta quinta-feira (17), na B3, em São Paulo, a concorrência com a proposta de R$ 2.290 milhões para a contraprestação. O que significa um deságio de 53,04% sobre o valor de referência proposto no projeto, que era de R$ 4.876.756,38. Na prática, a gestão estadual garantiu a implantação da rede de fibra ótica para todo o MS, com custos reduzidos. Além de uma infinita lista de benefícios no que se refere a conectividade, todo o investimento realizado com o Capital privado retorna para o Estado após o final do contrato de 30 anos. “Você ter um deságio acima de 53% mostra a competitividade de Mato Grosso do Sul e espelha o tamanho do potencial que existe em instalar esse projeto no Estado. Vamos aumentar a velocidade da nossa conectividade, com um custo muito reduzido”, disse o governador Reinaldo Azambuja. Ele ainda lembrou que as parcerias com o setor privado, como a do saneamento e da rodovia MS-306, são termômetros que demonstram as assertivas do Governo em promover políticas com PPPs. “Eu vejo que essas parcerias, como a do saneamento e a concessão rodoviária, têm sido um sucesso de execução e de melhorias na condição dos serviços entregues à população. E agora, essa da Infovia Digital, só mostra que estamos fazendo as escolhas certas”, finalizou. O vice-presidente da Sonda Infovia Digital, Rivaldo Ferreira, contou que o que levou o grupo a querer entrar numa concorrência de investimentos em Mato Grosso do Sul foi todo o escopo do projeto e a potencialidade do Estado no cenário econômico. “Fizemos uma análise e vimos que é um Estado com uma economia muito forte e com uma demanda reprimida onde temos a expertise de atuar, que está no nosso DNA”, explicou Rivaldo. Os secretários Jaime Verruck (Semagro) e Eduardo Rocha (Segov) também acompanharam o leilão. “É importante destacar que o projeto vai colocar o Estado numa situação das melhores estruturas da infovia digital, tornando mais eficiente no que se refere à máquina e competitivo para os olhos do investidor”, pontuou Verruck. Eliane Detoni, secretária especial do Escritório de Projetos Especiais (EPE), disse que saiu com dever cumprido. "Demonstra que estamos no caminho certo”, finalizou. Está prevista a implantação de 6.950 km de rede de fibra óptica, com a construção de um Centro de Operações de Rede (COR) em Campo Grande, além da disponibilização de serviços de internet gratuita e videomonitoramento em 129 praças públicas, monitoramento veicular em rodovias estaduais e a instalação de 15.000 ramais IP (sistema de telefonia digital que utiliza protocolo de internet para transmitir voz) entre as unidades administrativas do Estado. A fase agora é a avaliação da documentação, que deve ser homologada e publicada até o dia 31 de março. Após essa análise, acontece a assinatura do contrato e o prazo para a implantação total da estrutura é de dois anos. “Com a ordem de serviço assinada, o prazo é de dois anos para a finalização da estrutura. Vamos revolucionar a conectividade de MS com essa parceria”, contou Rédel Furtado Neres. Assessoria de Comunicação

2 visualizações0 comentário