• Diamante FM

Aneel mantém mesma tarifa da energia elétrica em MS até o fim de abril


A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) manteve os índices em vigor de cobrança da tarifa de energia a 1,08 milhão de consumidores atendidos pela Energisa-MS, que abrange 74 municípios de MS. A decisão foi deliberada esta manhã, durante a 11ª Reunião Pública Ordinária de diretoria.


Até o dia 30 de abril deste ano, serão mantidos os índices em vigor desde abril de 2021, cálculo médio média, de 8,9%. Este percentual é derivado dos aumentos 7,28% para classe residencial, 8,27% para consumidores de baixa tensão (tipos de residenciais e outros, como comércio) e 10,69% para os de alta tensão (industriais).


Esta composição, válida até 30 de abril de 2022 foi solicitada pela concessionária e referendada pelo diretor-relator do processo, Sandoval de Araújo Feitosa Neto. Os demais diretores seguiram o voto da relatoria, mantendo os percentuais. Os novos índices ainda serão apresentados pela Energisa.


Na leitura da relatoria, não foi esclarecido os motivos de se optar em manter os índices em vigor e não apresentar o novo pedido de reajuste, que entraria em vigor já a partir de sexta-feira, 8 de abril.


Durante a votação, havia pedido de sustentação oral da concessionária, que foi negado. Feitosa avaliou que essa argumentação deve ser feita quando da votação do processo tarifário de reajuste anual, ainda a ser debatido pela Aneel.


Havia expectativa de que a votação do reajuste tarifário chegaria a 12% e não de 19% como era previsto. Isso porque a Justiça Federal atendeu ação da Concen (Conselho de Consumidores da Área de Concessão da Energisa/MS), que cobrou a incidência da bitributação sobre a conta de energia por parte da Fazenda Federal.


Com a decisão, será devolvido o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) cobrado sobre a base do PIS e do Cofins, medida que ameniza em R$ 200 milhões o futuro reajuste da tarifa.


A reportagem entrou em contato com a concessionária para saber qual e quando o índice deve ser apresentado e aguarda retorno. A atual cobrança da tarifa de energia gera faturamento de R$ 3,5 bilihões de reais, segundo dados apresentados pela Aneel durante a reunião.


Com informações do Campo Grande News

2 visualizações0 comentário